Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas.
Enviamos amostras ou ofertas com todas as encomendas.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental.

MENU
Toggle Nav

Doença de Crohn

A doença de Crohn é uma doença inflamatória intestinal que começa, geralmente, entre os 15 e os 30 anos de idade. Em Portugal, nos últimos anos, tem-se assistido a uma incidência crescente da doença. A prevalência estimada em Portugal é de 73 por 100 000 habitantes. Afeta tanto homens como mulheres mas cerca de 20% dos pacientes com Doença de Crohn têm um familiar, mais frequentemente um irmão ou irmã, ou um pai, mãe ou filho, com alguma forma de doença inflamatória do intestino.
Uma vez iniciada, a doença de Crohn pode causar sintomas para toda a vida, evoluindo por períodos de agudização e remissão. A mucosa ou revestimento interno e as camadas mais profundas da parede intestinal ficam inflamados, com irritação, aumento de espessura ou erosão em algumas áreas. A região terminal do intestino delgado, denominada íleo, é especialmente propensa a ser lesada pela doença de Crohn.

Causas

Ainda não se sabe o que causa a doença de Crohn. Pensa-se que o processo patológico pode começar por uma infeção viral ou bacteriana que ativa o sistema imunitário de forma persistente, causando inflamação mesmo depois de a infeção ter sido eliminada. Determinados genes que passam dos pais para os filhos podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver uma doença de Crohn na presença do fator desencadeante adequado.

São ainda fatores de risco:

  • A idade;
  • O tabaco (associa-se não só a um aumento do risco de desenvolver a doença como também a doença mais grave, pelo que todas as pessoas com o diagnóstico de Doença de Crohn devem parar de fumar);
  • O local de habitação (a doença é mais comum em indivíduos que residam em zonas urbanas de países industrializados);
  • O stress, pode agravar os sintomas da doença.

Sintomas

As queixas mais comuns desta patologia são a diarreia, a dor abdominal do tipo cólica e a perda de peso.
As complicações mais comuns desta doença são:

  • Oclusão intestinal;
  • Úlceras em qualquer zona do tubo digestivo, incluindo na boca, ânus e região genital;
  • Fístulas;
  • Osteoporose;
  • Inflamação da pele, olhos, articulações, fígado ou vias biliares;
  • Aumento do risco de cancro do cólon.

Algumas pessoas com doença de Crohn apresentam apenas cólicas ocasionais ou diarreia, sendo os seus sintomas tão ligeiros que nem procuram cuidados médicos.
No entanto, a maior parte das pessoas com doença de Crohn tem sintomas mais incómodos. Podem existir períodos prolongados sem queixas, mas que são interrompidos por acessos de sintomas, denominados de exacerbação. A inflamação reaparece durante uma exacerbação.

Quando a doença de Crohn surge, ou durante uma exacerbação, o doente pode notar:

  • Dores abdominais, geralmente ao nível ou abaixo do umbigo, tipicamente mais acentuadas depois das refeições;
  • Diarreia que pode conter sangue;
  • Feridas em volta do ânus;
  • Drenagem de pús ou de muco pelo ânus ou da área anal;
  • Dor com a defecação;
  • Aftas na boca;
  • Perda do apetite;
  • Dores articulares ou nas costas;
  • Dores ou alterações visuais num ou em ambos os olhos
  • Perda de peso apesar da ingestão de uma dieta com um conteúdo normal de calorias;
  • Febre;
  • Fraqueza ou fadiga;
  • Atraso do crescimento e da puberdade nas crianças.

Tratamento

O tratamento adequado dependerá de vários factores como os sintomas, a localização, gravidade e extensão da doença, a resposta aos tratamentos já efetuados, etc. Deverá consultar o seu médico e ver qual o tratamento mais adequado.

Alimentação

A maioria dos doentes com doença de Crohn pode fazer uma alimentação normal e sem restrições alimentares, com exceção dos períodos em que ocorre diarreia. Nessas fases, deve ser efetuada uma dieta pobre em fibras e que não contenha lactose, devido à dificuldade digestiva da mesma.
Na doença ativa, uma alimentação com pouca fibra pode ser benéfica no controlo da diarreia e da dor abdominal. Nos doentes com má-absorção pode ser necessário administrar vitaminas e sais minerais.
Alimentos estimulantes como cacau, chá, café, picantes, e gengibre podem agravar os sintomas, sobretudo numa fase de doença ativa.

Esta ficha é apenas informativa, não dispensando o conselho do seu médico ou técnico de saúde.
Para qualquer esclarecimento adicional contacte tel.: 21 854 31 21 ou e-mail: [email protected]