Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas.
Enviamos amostras ou ofertas com todas as encomendas.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental.

MENU
Toggle Nav

Infeções urinárias

A maioria das infeções do trato urinário é consequência de bactérias intestinais, principalmente Escherichia coli – E.Coli – que penetram na uretra, denominada comummente por colibacilo.
As mulheres estão particularmente mais vulneráveis a este tipo de infeções, devido à anatomia do seu aparelho genital e urinário: a distância entre o ânus e a entrada da vagina é mais curta, que nos homens. Este aspeto físico faz com que as infeções do trato urinário tenham uma relação bastante íntima com o comportamento sexual e os hábitos de higiene, bem como do seu par.
A cistite é a infeção mais comum do trato urinário e, frequentemente é denominada como infeção aguda não complicada ou infeção baixa, ocorrendo na parte mais baixa (bexiga e uretra). Os idosos de ambos os sexos constituem também um grupo de risco, sendo que a incidência de cistite neste grupo é mais pronunciada do que em pessoas mais novas e, muitas das vezes, é assintomática.

Sintomas

  • Urgência em urinar (inclusive durante a noite) e de forma frequente, o que pode ocorrer após esvaziamento da bexiga;
  • Sensação de ardor;
  • Mau-estar e sensação de pressão na porção inferior do abdómen;
  • Odor forte da urina, que se apresenta ainda turva (e pode conter vestígios de sangue).

Na maioria dos casos, a infeção é breve, aguda e apenas na superfície interior da bexiga.

Se a infeção é persistente ou crónica, podem ser afetados tecidos mais profundos. O trato urinário pode também sofrer alterações, facilitando a ocorrência de novas infeções. Podemos também estar perante um caso de pielonefrite (infeção urinária alta). A pielonefrite é a infeção urinária que atinge o rim. As bactérias ou micro-organismos que entram pela uretra passam pela bexiga e acabam por se instalar no rim. Quando isso sucede, provocam no local um processo inflamatório e infecioso.
Como consequência imediata, o rim aumenta de tamanho, a região lombar torna-se muito sensível a qualquer toque e a dor lombar torna-se constante. Neste caso, é importante recorrer de imediato ao médico.

A pielonefrite é sempre acompanhada de febre (> 37,5º C) e calafrios. A urina sai em pequenas quantidades, muitas vezes ao dia, sempre com muito ardor. Pode ocorrer gotejamento de sangue no final da micção. O paciente observa que a sua urina tornou-se mal cheirosa, turva e apresenta grumos (filamentos) no seu interior. Pode haver queixas digestivas, como náuseas, vómitos e anorexia. Desânimo, fadiga e prostração podem ser importantes.

Medidas preventivas

  • Beber um copo grande de água, antes e após as relações sexuais;
  • Urinar antes e após as relações sexuais, sem esvaziar totalmente a bexiga;
  • Nas relações sexuais, assegurar que a lubrificação acontece;
  • Utilizar preservativo;
  • Higienizar a região anal de frente para trás;
  • Utilizar produtos íntimos de pH ácido;
  • Preferir roupa interior de algodão em vez de fibras sintéticas;
  • Evitar o uso de roupas apertadas;
  • Ingerir, ao longo do dia, uma grande quantidade de água ou outros líquidos, para aumentar o fluxo de urina, ajudando a eliminar as matérias nocivas do organismo;
  • Urinar sempre que sentir vontade;
  • Evitar o café e as bebidas alcoólicas e o tabaco;
  • Evitar o consumo excessivo de hidratos de carbono, em geral, e de açúcares, em particular.

Medidas a adotar

  • Ingerir uma grande quantidade de água ou outros líquidos;
  • Evitar alimentos muito condimentados e/ou ácidos;
  • Evitar bebidas alcoólicas;
  • O tratamento comum recorre ao uso de antibióticos (principalmente em casos de pielonefrite, em que é obrigatório).

O arando vermelho (oxicoco) tem sido usado tradicionalmente para combater as infeções urinárias. Atualmente pensa-se que a sua ação se deve ao facto de impedir que as bactérias se fixem às paredes do aparelho urinário, causando lesões. Em alguns estudos, verificou-se que o sumo de arando vermelho ajudava a proteger o trato urinário de infeções causadas por bactérias, com uma taxa de sucesso de 73%.

Nutrientes e Plantas que podem ajudar

Vitamina C, produtos à base de equinácea, uva-ursina, chás de pés de cereja e de barbas de milho, acidophilus e bifidus (especialmente quando se efetuam tratamentos com antibióticos, pois estes microorganismos ajudam na reprodução das bactérias benéficas), entre outros.

Alguns Produtos que Podem Ajudar:

Arando Vermelho com Vitamina da Solgar

- Beneflora da Ortis

Esta ficha é apenas informativa, não dispensando o conselho do seu médico ou técnico de saúde.
Para qualquer esclarecimento adicional contacte tel.: 21 854 31 21 ou e-mail: [email protected]