MENU
Toggle Nav

Agriões e Cancro

De acordo com um novo estudo, um composto identificado nos agriões poderá suprimir o desenvolvimento de cancro de mama, através de um mecanismo de paragem da função de uma proteína importante no desenvolvimento tumoral.

O composto encontrado nos agriões e em vegetais, tais como brócolos e repolho, chama-se feniletil isotiocianato e poderá bloquear processos-chave no desenvolvimento do cancro, por interferir e suprimir a função de uma proteína conhecida como factor de indução de hipoxia (FIH), de acordo com os resultados publicados no British Journal of Nutrition.

“A investigação dá um passo à frente, no sentido da compreensão dos benefícios potenciais para a saúde que os agriões conferem, uma vez que demonstra que a ingestão de agriões pode interferir com reacções que já foram intimamente relacionadas com o desenvolvimento do cancro”, disse o líder da investigação.

À medida que os tumores se desenvolvem precisam de mais sangue e começam a estimular os tecidos circundantes, para o crescimento de novos vasos sanguíneos.

É sugerido que o feniletil isotiocianato bloqueia o desenvolvimento dos vasos sanguíneos para as células cancerígenas, reduzindo a actividade do factor de indução de hipoxia (FIH), que é um regulador positivo do desenvolvimento de vasos sanguíneos. O feniletil isotiocianato também parece induzir a apoptose (morte celular) em algumas células cancerígenas e, em alguns casos, também em células que são resistentes às drogas utilizadas em quimioterapia.

Fonte:

British Journal of Nutrition
Published online ahead of print, doi: 10.1017/S0007114510002217
“In vivo modulation of 4E binding protein 1 (4E-BP1) phosphorylation by watercress: a pilot study”
Authors: S.S. Syed Alwi, B.E. Cavell, U. Telang, M.E. Morris, B.M. Parry, G. Packham.