Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rotura de stock.
Após saírem do nosso armazém, serão entreges no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal Continental.
Amostras ou ofertas em todas as encomendas
MENU
Toggle Nav

Compostos fenólicos do azeite ajudam a reprimir a expressão de genes ligados à inflamação

Segundo um estudo recentemente publicado na Biomed Central (BMC) Genomics, uma equipa de investigadores testou o efeito do consumo de azeite em pessoas que sofriam de sindromas metabólicos, relacionados muitas vezes a doenças cardíacas e diabetes.

O azeite, rico em ácido oleico, é fonte de outros compostos que evidenciam características benéficas para a saúde, como por exemplo, vitamina E, fitosteróis, carotenoides e compostos fenólicos.

Estudos anteriores têm mostrado que, relativamente a uma dieta pobre em compostos fenólicos do azeite, o consumo de azeite virgem ajuda a reduzir factores de doença cardiovascular, para além de contribuir para o perfil lípidico.

Os seus benefícios poderão estar associados a uma diminuição da pressão arterial, à melhoria do metabolismo da glicose e também à acção de efeitos anti-inflamatórios e anti-trombóticos.

Os resultados obtidos nesta investigação confirmaram, com base molecular, a menor incidência de doenças cardiovasculares nos países mediterrânicos, onde o azeite é uma das principais fontes de gordura e também se verifica uma menor incidência de população obesa.

Para estudar a relação do azeite com a expressão genica, os investigadores identificaram alterações na expressão de genes que pudessem ser mediadas por compostos fenólicos do azeite. Ao analisarem a expressão de cerca de 15 000 de genes das células de sangue humano, após refeições ricas em azeite, foi verificada uma diminuição de expressão em 79 genes e um aumento de expressão em 19.

A maior parte dos genes onde se verificaram estas alterações encontram-se ligados à obesidade, altos níveis de gordura no sangue, diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.

Os genes cuja expressão foi inibida foram sobretudo genes promotores da inflamação.
Esta descoberta fortifica a relação já conhecida entre o tipo de dieta, inflamação e obesidade e comprova os efeitos benéficos do azeite virgem para a saúde humana.

Fica agora por aprofundar se os benefícios do azeite se mantêm com a sua inclusão prolongada na dieta e também se será um único composto fenólico o responsável por tais feitos ou se do sinergismo dos vários compostos fenólicos do azeite é que provêm esses benefícios.

É importante acrescentar que a utilização de azeite biológico, sem compostos químicos no seu processo de fabrico e proveniente de azeitonas colhidas no seu estado perfeito de maturação estará certamente associada à ingestão de uma maior quantidade de antioxidantes (compostos fenólicos).

Fonte:

Gene expression changes in mononuclear cells in patients with metabolic syndrome after acute intake of phenol-rich virgin olive oil
BMC Genomics 2010, 11:253; doi:10.1186/1471-2164-11-253
Authors: Antonio Camargo, Juan Ruano, Juan M Fernandez, Laurence D Parnell, Anabel Jimenez, Monica Santos-Gonzalez, Carmen Marin, Pablo Perez-Martinez, Marino Uceda, Jose Lopez-Miranda, Francisco Perez-Jimenez
Link: http://www.biomedcentral.com/1471-2164/11/253