Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rutura de stock.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental.
Amostras ou ofertas em todas as encomendas.

MENU
Toggle Nav

Alimentação à base de vegetais contra o cancro

Nutrição

O Fundo mundial de pesquisa do cancro, um dos principais centros de investigação para a prevenção do cancro, apresentou a 31 de Outubro de 2007 o seu segundo relatório de investigação. Foram apresentadas recomendações para a prevenção desta doença, destacando o papel central da alimentação vegetariana.

O Fundo mundial de pesquisa do cancro (WCRF) apresentou o seu segundo relatório de investigação em Washington D.C., Londres, Pequim, Hong-Kong e Amesterdão. O primeiro relatório do WCRF data de 1997 e foi mundialmente reconhecido como um dos mais importantes no que diz respeito à relação entre alimentação, hábitos alimentares e a prevenção do cancro. Novas e inovadoras tecnologias de investigação resultaram em novas conclusões científicas. Estas são a base das recomendações deste segundo relatório, no qual também foi estudada a relação entre a alimentação e o cancro.

O relatório salienta a importância do consumo de alimentos vegetais na luta contra o cancro. Os investigadores recomendam consumir diariamente pelo menos cinco porções (pelo menos 400 g) de diferentes legumes e frutas, com uma preferência para legumes coloridos e não amiláceos. As recomendações também incluem o consumo de cereais não refinados e leguminosas a cada refeição. É ainda importante consumir outros alimentos que constituam fonte natural de fibras alimentares. O ideal seria uma porção diária de 25g de hidratos de carbono complexos, para além do amido.

Como recomendação prática, os autores dizem que, de preferência, 2/3 de uma refeição deveria corresponder a vegetais. Dentro desta alimentação rica em vegetais, a soja merece um lugar de destaque como fonte de proteínas. O WCRF afirma que só a soja é uma fonte vegetal que contém todos os aminoácidos essenciais nas proporções certas.

Estas recomendações não são favoráveis apenas para a saúde, também o meio ambiente vai beneficiar. Comparando o valor
nutricional dos cereais, tubérculos, legumes, nozes e sementes, os custos de produção por grama de proteína ou por caloria, são relativamente baixos. Assim, se forem respeitadas as recomendações, os terrenos agrícolas serão utilizados de forma mais eficaz, o que irá resultar num menor impacto ecológico.

Este relatório será sem dúvida um importante guia para os responsáveis políticos, cientistas e grande público.


Fonte: World Cancer Research Fund / American Institute for Cancer Research. Food, Nutrition, Physical Activity and the Prevention of Cancer, a Global Perspective. Washington D.C. AICR, 2007 - Launch Conference, dia 1 e 2 de Novembro de 2007 na Royal Society, London.