Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rutura de stock.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental.
Amostras ou ofertas em todas as encomendas.

MENU
Toggle Nav

Fontes de Colagénio

Sabia Que?

O colagénio trata-se de uma proteína insolúvel e muito abundante no corpo, que fornece suporte estrutural para a pele, os ossos, tendões e ligamentos. Estima-se que existam 28 tipos de colagénio, mas os mais comuns são do tipo I ao IV, sendo que 90% do corpo humano é composto por colagénio tipo I. Apesar de a partir dos 18-29 anos de idade, se iniciar a diminuição dos níveis de colagénio no organismo, é depois dos 40 anos que este fenó-meno se torna mais expressivo. A partir desta altura, verifica-se a perda de 1% de colagénio ao ano. Avançando para a década dos 50, as reservas de colagénio estarão pela metade e a partir dos 80, pelos 25%.

Fontes de Colagénio

Na natureza, o colagénio apenas se encontra em tecidos de origem ani-mal, sendo as fontes mais comuns de extração a vaca e o porco, como um subproduto desta indústria. Mais recentemente, também se começou a extrair colagénio de origem mari-nha, isto é, a partir da pele, escamas e espinhas dos peixes.

O Colagénio Hidrolisado

No que toca aos suplementos de colagénio, nem todos são iguais. Para além de ser importante escolher um suplemento que forneça o tipo de colagénio em função do seu objetivo, existem algumas fórmulas com maior eficácia.
O colagénio hidrolisado é obtido por ação enzimática a partir das fontes atrás indicadas. Destaca-se por ser mais fácil de digerir e de absor-ver, revelando-se mais biodisponível. Alguns estudos mostram ainda que, em comparação com o colagénio nativo, o hidrolisado é mais eficaz não só para estabilizar a estrutura dos tecidos, como também para potenciar a síntese de novo colagénio.

Fontes Vegan e Vegetarianas

Apesar de não existirem fontes vegetais de colagénio, nos últimos tempos têm surgido evidências de que a suplementação com certos aminoácidos pode ter um impacto positivo na síntese de colagénio tipo I. Em particular, destacam-se os aminoácidos lisina, arginina, pro-lina, glicina e treonina, que podem contribuir para a formação da molécula de colagénio e na prevenção do envelhecimento. Ainda que não seja tão eficaz, esta combinação de aminoácidos poderá ser a mais viável, caso o consumo de produtos derivados de animais não seja uma opção.

tipos de colagénio