Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rutura de stock.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental.
Amostras ou ofertas em todas as encomendas.

MENU
Toggle Nav

Rodiola

Nutrição

Actualmente, graças à moderna tecnologia, podemos alterar quase tudo o que nos rodeia. O ar-condicionado, a iluminação artificial, o aquecimento central ou os conservantes alimentares, são apenas alguns dos muitos exemplos de mudanças que efectuámos para nossa comodidade. Porém, tais alterações, por mais convenientes e apropriadas que possam parecer à primeira vista, podem, a longo prazo, surtir efeitos indesejáveis. Apenas a título de exemplo, posso enumerar algumas consequências evidentes dessas transformações: os buracos na camada do ozono, o efeito de estufa, os metais pesados, etc.. É devido a estas constantes evoluções que cada vez mais necessitamos de reforçar o nosso organismo para melhor nos adaptarmos ao ambiente que nos rodeia. Assim, suplementos como a rodiola (Rhodiola rosea), que está incluída no grupo das plantas adaptogénicas (ajudam a aumentar a resistência do organismo a vários tipos de situações adversas) podem ser de extrema utilidade nos dias que correm.

A rodiola (também conhecida em inglês como arctic root) é nativa da Rússia e Ásia onde é usada há mais de três mil anos devido ao facto de, tradicionalmente, se acreditar que conferia longevidade. Em 1931, o Dr. L. Utkin, um botânico e nutricionista russo, efectuou inúmeras pesquisas sobre esta planta, tendo chegado à conclusão que ajudava a aumentar a potência sexual. Nas décadas seguintes, descobriu-se que a rodiola auxiliava a aumentar as resistências naturais do organismo face ao stress.

Assim, nesta planta destacam-se as suas propriedades adaptogénicas que ajudam a aumentar a tolerância aos vários tipos de stress a que estamos sujeitos diariamente (mental, físico, ambiental). A rodiola mostrou contribuir para regular a resposta hormonal do organismo ao stress, não só pela actuação ao nível das glândulas supra-renais, mas também ao nível do hipotálamo. Para além disto, tem um efeito protector dos neurotransmissores (serotonina e dopamina), aumentando a sua actividade, por inibição da sua destruição enzimática e prevenindo a sua diminuição, causada pela excessiva libertação de hormonas do stress. Por exemplo, no que respeita aos níveis de serotonina, vários estudos demonstram que, através da rodiola, estes podem ser aumentados em cerca de 30%. Esta planta aumenta ainda o transporte dos percursores da serotonina (triptofano e 5-hidroxitriptofano) no cérebro. Devido a estas características, este suplemento fitoterápico revela-se útil no combate de qualquer tipo de stress, fadiga crónica e estados de depressão e ansiedade. Esta planta pode ter efeitos positivos na esquizofrenia e parkinsonismo. A ingestão de suplementos à base de rodiola pode também melhorar a memória, a concentração e ajudar a combater as enxaquecas, pois ao melhorar a circulação cerebral, facilita o aporte de oxigénio ao cérebro.

Desde há muito que a rodiola é utilizada como tónico sexual masculino e, de acordo com investigações efectuadas neste campo, verificou-se que esta planta possui em alguns casos um efeito terapêutico benéfico em determinadas disfunções sexuais, como a ejaculação precoce ou falta de erecção. Os vários estudos realizados sugerem ainda que a rodiola actua beneficamente sobre o sistema imunológico, sendo por isso recomendada em estados de convalescença. A sua acção aumenta ainda a oxigenação no sangue, ajudando a reduzir a viscosidade sanguínea e a agregação plaquetária, contribuindo para uma melhor circulação cardiovascular e também a nível cerebral. Devido a esta característica, esta planta pode ser interessante na prevenção de tromboses, enfartes e acidentes vasculares cerebrais. Possui também qualidades antioxidantes, ajudando, por isso a combater os efeitos nefastos dos radicais livres.

A rodiola deve os seus efeitos benéficos aos seus princípios activos: salidrozido, rosavina e os polifenóis. No que se refere à dose recomendada, são sugeridos cerca de 250 a 750 mg diários, de extracto normalizado de raiz de rodiola que contenha 1% de salidrozido e 40% de polifenóis, que poderá encontrar facilmente sob a forma de cápsulas.

Actualmente, a rodiola é considerada não apenas uma das plantas mais versáteis, mas também uma das mais seguras, visto não se conhecerem efeitos secundários ou contra-indicações. Penso que, para além do exposto, a rodiola se apresenta ainda como um suplemento ideal no campo preventivo para todos aqueles que desejem manter-se saudáveis. Se sofrer de alguma das patologias mencionadas e pense que a rodiola pode ser útil, consulte o seu médico.

Pedro Lôbo do Vale
Médico