MENU
Toggle Nav

Pilates

Quem ainda não ouviu falar de Pilates? Cada vez mais comum em qualquer ginásio, o método Pilates é muito mais que apenas uma modalidade que está na moda.

De que se trata?

O método Pilates pode definir-se como um conjunto de exercícios que tem como objectivo controlar os músculos e a respiração, contribuindo assim, para uma maior flexibilidade, vitalidade e consistência corporal.

Esta actividade deve o seu nome a Joseph Pilates (180 - 1967), um alemão com uma infância marcada por doenças como a asma, a febre reumática e o raquitismo. Desde cedo, decide contrariar a sua fraca forma física e durante a adolescência torna-se mergulhador, esquiador e um excelente ginasta, tendo mesmo chegado a praticar boxe. Nesta fase da vida, demonstra também interesse por disciplinas como o karaté e o ioga. E é durante a I Guerra Mundial, que num campo de prisioneiros em Inglaterra começa a desenvolver este método para ajudar na reabilitação de alguns feridos. Joseph Pilates adapta nas camas dos doentes pegas e outros utensílios, para que estes possam exercitar e fortalecer os músculos. É desta forma que nasce uma série de exercícios a que hoje apelidamos de método Pilates. Posteriormente, abre um estúdio em Nova Iorque, no mesmo edifício do New York City Ballet, frequentado na sua maioria por bailarinos que recuperam de lesões. O método de Pilates depressa ganha adeptos e a sua reputação espalha-se um pouco por todo o mundo.

O Pilates, hoje em dia

Dos 34 movimentos originais resultaram cerca de 500 variações que são realizadas com a ajuda de aparelhos específicos ou no chão, em sessões individuais ou em pequenos grupos. Os movimentos são efectuados lentamente, com intensa concentração e repetidos apenas 10 vezes cada um. O principal objectivo é fortalecer os músculos da zona abdominal, lombar e dorsal para que o resto do corpo se possa mover livremente. Os músculos dos braços e das pernas também são exercitados, com o objectivo de serem tonificados em vez de aumentarem de volume.

Princípios e benefícios

Existem oito princípios deste método: descontracção, alinhamento, respiração, a central de energia ou centro, concentração, coordenação, movimentos fluidos e vigor. Esta actividade física adequa-se a pessoas de todas as idades e os seus movimentos precisos e controlados têm como principais benefícios o desenvolvimento do equilíbrio e o fortalecimento e tonificação muscular. Por conseguinte, muitos atletas das mais diversas modalidades (jogadores de golfe, tenistas, ciclistas, pilotos, entre outros) recorrem a esta técnica para recuperação de lesões ou como parte integrante do seu treino. O stresse, o sedentarismo, a má postura, são alguns aspectos negativos que caracterizam os tempos modernos. A prática de Pilates é, neste âmbito, muito positiva, pois para além de ajudar a corrigir a postura, ajuda a relaxar e consequentemente a diminuir os níveis de stresse. Este método de exercícios ajuda também a estimular a circulação e a promover a flexibilidade das articulações. Por todas estas razões, o método Pilates é recomendado por médicos de diversas especialidades, osteopatas e fisioterapeutas.

Este método não é, nem tem pretensões em ser, obviamente, uma “cura para todos os males”, nem pretende substituir outras formas de exercício físico. Aliás, todo o exercício físico quando adequado é salutar: correr, andar de bicicleta, nadar, andar a pé e também Pilates. O método Pilates ajuda a melhorar e a complementar as outras actividades praticadas regularmente para obter um melhor desempenho e, principalmente, se sentir melhor.

Para melhor conhecer este método pode documentar-se através de inúmeros livros ou procurar informações na Internet. Mas o melhor é sem dúvida experimentar. Aventure-se neste método de exercícios, tendo apenas o cuidado de escolher um local devidamente credenciado e enfrente o Inverno com mais vitalidade.