Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rutura de stock.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental.
Amostras ou ofertas em todas as encomendas.

MENU
Toggle Nav

A melhor dieta

Nutrição

Mais do que uma dieta, a Dieta Mediterrânica é um estilo de vida.
Aposte neste plano alimentar e mantenha a forma neste verão.

A Dieta Mediterrânica, reconhecida em 2013 pela UNESCO como Património Cultural Imaterial da Humanidade, não é considerada apenas uma dieta mas, antes, um estilo de vida, que representa um conjunto de conhecimentos, práticas e tradições relacionados com a alimentação humana, partilhados e transmitidos de geração em geração.

O estudo do impacto da Dieta Mediterrânica na saúde teve a sua origem no trabalho desenvolvido por Ancel Keys, iniciado em 1952, que estudou os hábitos alimentares dos povos da bacia do Mediterrâneo e constatou uma redução na incidência de doenças cardiovasculares e coronárias e uma maior longevidade
nestas populações.

Neste regime predominam sobretudo os produtos frescos, locais e sazonais. Dá-se preferência ao consumo da gordura de origem vegetal (como o azeite), de peixe, vegetais e fruta e a uma redução dos açúcares simples e do sal.

PARA UMA VIDA MAIS LONGA
Os resultados de muitos estudos sugerem que este padrão diário de alimentação característico da Dieta Mediterrânica está associado a maior longevidade no geral e à proteção face a doenças como o cancro, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, doença cardiovascular, obesidade e doenças neurodegenerativas.

ESTUDO DE CASO:
PORTUGAL
De acordo com os dados recentes relativos à população portuguesa, presentes no Inquérito Alimentar Nacional e Atividade Física (apresentado em 2016 e realizado por um grupo de trabalho que envolveu investigadores nacionais e internacionais), a adesão elevada ao padrão alimentar mediterrânico ocorre apenas em 27,8% dos portugueses, sendo que, deste universo, a maioria são indivíduos idosos (43,7%) e apenas 8,6% são adolescentes.

MANTENHA A TRADIÇÃO E A SUA FORMA
Como podemos, então, preservar este padrão alimentar e reduzir naturalmente o risco de aparecimento de obesidade e de outras doenças crónicas? Mesmo num dia a dia agitado existem pratos e alimentos chave da Dieta Mediterrânica que deve manter na sua alimentação:

Sopas (no inverno e no verão):

São pratos versáteis, fonte de diversas vitaminas e minerais, fibra e água. Podem conter mais ou menos calorias, ser refrigeradas ou congeladas e servidas quentes ou frias. São um bom exemplo de um prato tradicional e rápido.

Peixe ( peixe gordo pelo menos 2 vezes por semana):

A ingestão de peixe, em particular de ácidos gordos do tipo ómega-3, contribui para a redução
de gorduras sanguíneas e para o normal funcionamento do coração.

Azeite (gordura principal):

O azeite é uma gordura rica em ácidos gordos monoinsaturados e fonte de vitamina E e outros antioxidantes. É a opção ideal para temperar e cozinhar.

Frutos secos e oleaginosos (lanches perfeitos):

A combinação de frutos secos (como figos, damascos, passas, etc.) com os frutos oleaginosos (amêndoa, noz, avelã, etc.) permite várias opções saborosas para os seus lanches ou refeições intermédias. Estes alimentos fornecem uma gordura considerada saudável, além de proteínas, vitaminas, minerais e fibra.

Leguminosas (introduza no seu dia):

As leguminosas (feijão, grão, lentilhas, favas, ervilhas) são alimentos típicos da dieta mediterrânica, ricos em fibra, vitaminas e minerais. Quando consumidas em conjunto com os cereais são também uma boa fonte de proteínas de origem vegetal. Deveríamos tentar consumir pelo menos uma porção de leguminosas por dia (o equivalente a três colheres de sopa cozinhadas).

A Dieta Mediterrânica está associada a uma maior longevidade no geral e à proteção face a doenças como o cancro, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, doença cardiovascular, obesidade e doenças neurodegenerativas.