BLACK WEEK ONLINE: Utilize o código BW15 e obtenha 15% de desconto na sua compra*
Amostras ou ofertas em todas as encomendas
*Pontos não acumuláveis no cartão cliente
MENU
Toggle Nav

Asma

Bem-Estar

A asma é uma inflamação crónica das vias respiratórias. Trata-se de uma das doenças crónicas mais frequentes em crianças mas qualquer pessoa poderá ser afectada por esta doença.
Durante uma crise asmática os brônquios ficam mais estreitos e o ar sai e entra nos pulmões com maior dificuldade. Esta obstrução generalizada, mas variável, das vias aéreas é reversível espontaneamente ou através de tratamento.

Como sintomas característicos de asma podemos referir:

  • Episódios recorrentes de dispneia (dificuldade em respirar/falta de ar);
  • Pieira;
  • Episódios frequentes de infecções respiratórias;
  • Aperto torácico e tosse, particularmente durante a noite, no início da manhã, com o esforço físico, ou após a exposição a algum agente que desencadeie a crise asmática.

Sabe-se também que casos de infecções respiratórias, eczema, rinite alérgica, história familiar de asma ou de doença atópica estão frequentemente relacionados com asma. Para o seu correcto diagnóstico é necessária a determinação da presença de sintomas, que os memos estejam relacionados com a exposição a factores de agressão e também a realização de alguns exames específicos para determinar sinais de obstrução brônquica, entre eles a avaliação funcional respiratória e avaliação de atopia (distúrbio orgânico de hipersensibilidade a diversos factores ambientais. Exemplos de doenças atópicas são a asma brônquica, rinite alérgica, dermatite atópica, conjuntivite alérgica e alergias alimentares).
Doentes asmáticos tanto podem passar dias, semanas ou meses sem sintomas como poderão ocorrer situações em que as crises asmáticas são muito frequentes. A intensidade das crises poderá divergir até de dia para dia.
Para controlo desta doença é importante que o asmático conheça ou procure conhecer as situações perante as quais podem ocorrer ou ser agravados os seus sintomas: exercício físico; infecção viral (constipações ou gripes, entre outras); animais com pêlos, penas de pássaros; exposição prolongada aos ácaros do pó doméstico; fumo, principalmente de tabaco e lenha; pólen, sobretudo na Primavera; alterações da temperatura do ar; emoções fortes, principalmente quando desencadeiam riso ou choro; produtos químicos inaláveis; alguns fármacos e alimentos susceptíveis de causar a crise asmática.
É certo que as crises de asma podem por a vida em risco e que a asma não tem cura, porém, esta doença poderá ser controlada com alguns cuidados, medicamentos, ou melhorada com a toma de alguns suplementos alimentares.
Hoje em dia, desde que cumpra as indicações do seu médico, a maior parte dos asmáticos pode ter uma vida normal. As crises normalmente instalam-se lenta e progressivamente pelo que, se a pessoa estiver atenta, tem tempo para usar a medicação prescrita (normalmente um inalador) e assim afastar o perigo. Em casos em que a crise persista é normalmente necessário o apoio de um serviço de urgência.
Familiares de crianças asmáticas deverão redobrar os cuidados com as mesmas em relação a esta doença mas tal não deverá ser impeditivo que as crianças tenham a sua vida normal, inclusive que pratique educação física. Os respectivos educadores ou professores deverão apenas ser informados da sua situação perante esta doença.
Quando a asma está associada a alergias aos ácaros é necessário especial cuidado com o pó. A aspiração e arejamento da casa deverão ser frequentes e incluir o colchão. É recomendado uso de acaricidas.
Quando a asma é desencadeada por reacção alérgica e o agente que desencadeia a alergia é conhecido, já é possível, nalguns casos, a toma da respectiva vacina.
Desportos que desenvolvam os músculos respiratórios são também recomendados pois melhoram a capacidade respiratória. Uma excelente opção é a natação, o remo, andebol ou basquetebol também poderão ter este efeito.
Alguns suplementos alimentares, à base de substâncias naturais, têm-se mostrado eficazes na prevenção dos sintomas de asma e até mesmo no aparecimento de episódios breves a moderados, mas há que ter sempre presente a noção de que o acompanhamento médico não deverá ser descurado, assim como a toma da medicação prescrita pelo mesmo.