Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rutura de stock.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental
Amostras ou ofertas em todas as encomendas.

MENU
Toggle Nav

Chá verde

Nutrição

Bebida trazida do oriente, o chá rapidamente entrou na simpatia do ocidente, tornando-se mesmo um hábito nacional, como o chá das cinco inglês. Sendo cultivado principalmente na índia, Sri Lanka e China, o seu uso tornou-se mundial. A forma mais conhecida, o chá preto, pode apresentar-se sob muitas variedades, cada uma com o seu paladar e odor próprios. Menos conhecido é o chá verde, mas descobertas científicas recentes têm-no tirado do seu anonimato no meio ocidental.

Ambos provêm de uma mesma planta, Camel1ia sinensis, mas o processo de tratamento das folhas é diferente. No caso do chá preto há como que uma torrefacção das folhas, dando-lhe a sua cor característica; e no outro caso, as folhas são tratadas por processos menos intensos, mantendo a cor verde.

Sendo provenientes da mesma planta, era de supor que os dois tipos de chá contivessem as mesmas substâncias activas, mas parece que não é exactamente assim. Em qualquer dos casos, encontram-se cafeína, teobromina, taninos, algumas vitaminas e minerais e óleos essenciais. As duas primeiras substâncias conferem-lhes propriedades estimulantes do sistema nervoso e diuréticas, daí que o consumo excessivo de chá (preto ou verde) pode levar ao aparecimento de insónias, excitabilidade e problemas gastro-intestinais, sobretudo quando estas doses elevadas se mantêm por períodos longos. Os taninos são ácidos e adstringentes, úteis em casos de diarreia e ulcerações, quer do tubo digestivo quer quando o chá é aplicado em feridas ou escoriações externas.

A grande revelação está, no entanto, no chá verde que, pelo facto de ser produzido por processos menos drásticos, mantém intactos alguns dos constituintes iniciais existentes nas folhas da planta (embora o chá preto também os possa apresentar, mas em menor quantidade). Refiro-me aos polifenóis. Estas substâncias têm propriedades antioxidantes muito potentes, mais efectivas ainda que as das vitaminas C e E. Segundo alguns investigadores, uma única chávena de chá verde, dependendo da sua concentração, pode ter um poder antioxidante maior que um copo de sumo de fruta fresca.

Estas propriedades têm demonstrado benefícios fortemente promissores na prevenção de dois grandes factores de causa de morte e/ou invalidez: as doenças cardiovasculares e o cancro. Os grandes bebedores tradicionais de chá verde, muitas das populações orientais, apresentam menor índice geral de doenças cancerígenas do que os seus congéneres que não o consomem regularmente. Por outro lado, também se verifica que a idade média desta doença se manifestar é mais avançada nos consumidores regulares do que nos que não o ingerem, em que a doença se manifesta mais cedo.

Parece igualmente que a ingestão de chá verde às refeições pode inibir a formação de nitrosaminas, conhecidas como um dos agentes mais cancerígenos. As nitrosaminas formam-se a partir de nitritos e nitratos existentes na maioria dos enchidos e carnes fumadas e na presença de aminoácidos existentes na parte proteica (carne) nesses mesmos alimentos.

Ao nível das doenças cardiovasculares, o consumo de chá verde pode prevenir a oxidação do colesterol, retardando ou inibindo a formação de placas de aterosclerose. Mais uma acção favorável para uma chávena de chá verde.

Embora ainda seja cedo para uma avaliação mais ampla e definitiva sobre os benefícios do chá verde, a sua inclusão nos hábitos diários ou regulares parece ser algo a adquirir num contexto de uma melhor saúde, sobretudo quando se trata de doenças em que a melhor opção é a prevenção (aliás, para todas elas!). Se tem problemas de sono ou tendência para alguma excitabilidade, utilize o chá até meio da tarde, evitando a noite, e não exagere no seu consumo.

O chá verde parece ter também propriedades termogénicas, quer dizer que ajuda a queimar as calorias ingeridas. Isto torna-o útil como complemento em casos de obesidade. De qualquer forma, todas estas considerações não servirão de muito se continuar com a ingestão de grandes quantidades de carne, gorduras saturadas e açúcares de absorção rápida (açúcar vulgar, produtos de pastelaria).

E para terminar, uma chávena de chá. ..verde, por favor! (O preto nalguns estudos parece ter alguns efeitos contrários aos deste.)

Pedro Lôbo do Vale
Médico