Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rutura de stock.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental.
Amostras ou ofertas em todas as encomendas.

MENU
Toggle Nav

Óleo de onagra

Nutrição

Actualmente, o óleo extraído da onagra é considerado por muitos investigadores como uma das mais significativas descobertas da fitoterapia. A Oenothera biennis (evening primrose, em inglês) é uma planta caracterizada pelas suas flores de cor amarela que apenas se abrem à noite e, de cujas sementes se extrai o óleo utilizado medicinalmente. Originária da América do Norte, a onagra foi introduzida na Europa no século XVII e, naquela época, era utilizada apenas como planta ornamental. Contudo, depressa foram conhecidos os seus benefícios, chegando mesmo a ser apelidada de cura do rei, devido às suas propriedades ditas mágicas. Porém, durante muitos anos, o seu uso foi banalizado e só no decorrer das últimas décadas é que foram levadas a cabo investigações científicas, a fim de comprovar as suas propriedades terapêuticas.

Na verdade, o valor do óleo de onagra reside no facto de este ser rico em ácidos gordos essenciais polinsaturados (também conhecidos como vitamina F). Tais ácidos são fundamentais na nossa nutrição já que realizam as mais variadas funções no corpo humano (são parte integrante da estrutura de cada célula), sendo por isso importantes a todo o metabolismo. Aliás, o nosso organismo não consegue produzi-los, obtendo-os apenas através da alimentação.

O óleo de onagra é constituído essencialmente por ácido linoleico (cerca de 70%) e por ácido gama-linolénico ou GLA, como também é conhecido, (entre 7 % a 10%). A onagra é dos vegetais conhecidos o que contém o ácido gama-linolénico nestas proporções tão ricas, o qual também se encontra presente no leite materno. O GLA revela-se por sua vez importante, pois desempenha um papel indispensável no organismo como percursor químico das prostaglandinas (substâncias que cumprem inúmeras funções metabólicas). Estas explicações serão, porventura, algo complicadas, quando o que de facto conta são os seus efeitos práticos.

Ora, na verdade, estas substâncias são semelhantes às hormonas e permitem a regulação de muitos processos fisiológicos e fisiopatológicos (como por exemplo a inflamação, a dor, a pressão sanguínea, a função cardíaca, a actividade gastrointestinal, a função renal e equilíbrio dos líquidos, a coagulação sanguínea, a alergia, a transmissão nervosa e a produção de esteróides e de hormonas). As prostaglandinas desempenham um papel crucial em todos estes processos pois controlam constantemente cada célula e cada órgão do nosso organismo, ao mesmo tempo que regulam a actividade de algumas enzimas. Porém têm um ciclo vital extremamente curto.

Em resumo, o ácido gama-linolénico (GLA) e as prostaglandinas, são imprescindíveis a muitos níveis, pelo que são bastantes os casos em que o óleo de onagra pode ser aplicado com êxito. Curiosamente, apesar deste suplemento poder ser útil para muitos, ele é particularmente adequado às mulheres. Assim, e segundo as mais recentes investigações científicas, o óleo desta planta (apesar de não ter efeito sobre as lesões malignas) tem uma das suas maiores aplicações em certas mastodinias (mamas dolorosas e inchadas e mastopatia fibroquística) e na prevenção e alívio de sintomas de tensão pré-menstrual e da menopausa. A onagra pode ser também benéfica em casos de artrite reumatóide e processos reumáticos em geral. É também considerado útil o uso da onagra na prevenção de transtornos circulatórios como a hipertensão arterial. Para além disso e, pelos efeitos que pode ter no combate à agregação plaquetária, a ingestão do óleo de onagra poder ajudar a prevenir os acidentes vasculares cerebrais. Devido à sua riqueza, este óleo pode ser também adjuvante em certas afecções do sistema nervoso, nomeadamente a doença de Parkinson, esclerose em placas e em certas lesões causadas por degenerescência neuronal. As propriedades benéficas da onagra podem ainda beneficiar o sistema imunológico, nomeadamente em casos de alergia e asma. Também, no que respeita a problemas dermatológicos a onagra pode ser uma ajuda preciosa, pois ajuda a regular a secreção sebácea (acne ou pele seca), a fortalecer as unhas e o cabelo, sendo ainda usada em casos de eczemas, psoríase e outras dermatites, razões estas que fazem com que integre a composição de muitos produtos de cosmética à venda no mercado.

Existem suplementos de óleo de onagra disponíveis sob a forma de cápsulas e a dose recomendada situa-se entre os 500 a 1000 mg, três vezes ao dia. Como os ácidos gordos essenciais se degradam facilmente, opte por suplementos de óleo de onagra com vitamina E adicionada, devido ao seu elevado poder antioxidante. Deverá ainda escolher suplementos em que o óleo de onagra seja obtido por prensagem a frio, pois desta forma não conterá resíduos de solventes. Porém, em primeiro lugar, não se esqueça de se aconselhar junto do seu médico.

Pedro Lôbo do Vale
Médico