Encomendas processadas no nosso armazém em menos de 24 horas (úteis), salvo rutura de stock.
Após saírem do nosso armazém serão entregues no prazo normal de 1 a 2 dias úteis em Portugal continental
Amostras ou ofertas em todas as encomendas.

MENU
Toggle Nav

Síndroma do Intestino Irritável: O que é, quais os sintomas e como controlar

Bem-Estar

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) ou Síndrome do Cólon é um distúrbio funcional crónico do intestino associado a um grupo de sintomas, como dor e distensão abdominal, gases intestinais e alterações do trânsito digestivo (com a presença de obstipação ou diarreia, ou mesmo ambas). Embora não se trate de uma situação que coloque a vida em risco, os sintomas podem ser debilitantes e capazes de reduzir, de forma significativa, a qualidade de vida. O diagnóstico é clínico, realizado por um médico, e deve excluir a presença de doenças orgânicas. As causas exatas não são totalmente conhecidas, contudo, sabemos que existem fatores pessoais, ambientais e emocionais que influenciam a sua incidência, por exemplo: alterações hormonais, dieta alimentar, desequilíbrio da microbiota intestinal, infeções intestinais ou stresse.

O Stresse

É reconhecido como um dos fatores que leva ao aparecimento da SII, assim como dos seus episódios agudos. Uma estratégia de redução do stresse, que passe pelo equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, também terá de fazer  parte da solução.

Abordagem Alimentar

Como os sintomas e a sua intensidade diferem em cada caso, a estratégia alimentar deve ser diferenciada, sendo importante identificar os alimentos que, potencialmente e em cada caso em particular, causam os sintomas. De um modo geral, produtos como bebidas alcoólicas, café, especiarias picantes, alimentos processados e ricos em gordura devem ser evitados, pois podem agravar os sintomas. É importante referir que todas as alterações a realizar na dieta alimentar diária devem ser individualizadas, não devem passar pela exclusão de alimentos ou grupos alimentares a longo prazo e devem ser sempre acompanhadas por um profissional de nutrição.

Alívio dos Sintomas

As evidências suportam que o desequilíbrio da flora intestinal contribui para o desenvolvimento da SII, dando assim aos probióticos um papel de destaque. Estes microrganismos vivos ajudam no equilíbrio da flora intestinal e no fortalecimento da barreira epitelial intestinal.

No caso de dificuldades na digestão, não podemos esquecer a importância das enzimas digestivas na melhoria da absorção e no processo digestivo em geral. Para o controlo de sintomas, nomeadamente no apoio à digestão e à redução do inchaço, da flatulência e dos espasmos abdominais, existem algumas plantas que podem ser consideradas úteis, como o gengibre, a hortelã-pimenta, a camomila, a erva-cidreira, a alcaravia e o funcho.

Conhece os Hidratos de Carbono de Cadeia Curta Fermentáveis?

Estudos recentes têm também destacado que, neste tipo de pacientes em que existe uma maior sensibilidade visceral, alguns hidratos de carbono como os de cadeia curta fermentáveis: oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis – conhecidos por FODMAP (Fermentable Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides and Polyols) – por serem rapidamente fermentados pelas bactérias no cólon, podem contribuir para desencadear sintomas gastrointestinais indesejáveis. No entanto, apesar de algumas evidências apoiarem uma dieta baixa em FODMAPs como uma possibilidade na redução de sintomas associados a esta condição, serão ainda necessários mais estudos para confirmar esta abordagem na terapia alimentar da SII.